terça-feira, 17 de outubro de 2017

Daybydayforzerowaste faz 1 ano

Amanhã é dia de aniversário!!!

Fonte: Casa Art & Design

Estou muito orgulhosa por este primeiro ano, sinto-me viva, aprendi muito, principalmente como ser humano. 
É muito bom sentirmo-nos atentos, a questionar tudo o que nos é oferecido, tudo o que o marketing tem para nos dar, o que as televisões nos fazem entram pelos olhos a dentro. 

Com este novo estilo de vida, não foi só o desperdício que me dei conta, nem a saúde, nem a comida, mas tudo aquilo que nos rodeia. Se sempre achei que tinha a percepção antecipada para determinados assuntos e situações, com este estilo de vida, passei a ver as coisas com uma percepção muito mais apurada e acima de tudo, a QUESTIONAR e a exigir RESPOSTAS!

Estou muito feliz e portanto tenho muito a agradecer.

Gostaria de agradecer, antes de mais a todos vocês que me acompanham desde o inicio deste blog, e que me vão acompanhando a cada publicação, que me sugerem dicas, para eu ir melhorando o blog. É com todos vocês que vou aprendendo a ser blogger.

Gostaria de agradecer à Ana Milhazes Martins do blog Anagoslowly, e administradora do grupo Lixo Zero Portugal, pela inspiração constante, e por me ter desafiado para ser moderadora do grupo Lixo Zero Portugal no facebook. Todos os dias são um desafio, e que me tem feito conhecer muita gente, partilhar experiências, ideias e convívios.

Gostaria de agradecer à Antónia do blog She.is.awake por ter desafiado um grupo de bloggers amantes do ambiente e do zero desperdício, pois ajudou-me uma vez mais a sair da minha zona de conforto e a desafiar-me a mim mesma.

Gostaria de agradecer a todos os membros do grupo LixoZeroStoryTime, bloggers femininas (Catarina Mind the Trash,  Joana Guerra Tadeu A Montra the Window, Joana Reis eerie_plains, Joana The Middle Way Blog,  Ana e Carla de_vagar_, e Inês inesespadanobre), que desde que aceitaram o desafio fizeram com que o grupo se mantenha com uma chama acesa e constante e é onde vou buscar a minha força diária.

Gostaria de agradecer à Rosário do PlasticSundays, pela inspiração e desafios, e também por permitir que o meu gosto pelo ambiente, a força e convicção de que juntos poderemos chegar mais longe e fazer mais, nunca tenha desaparecido de dentro de mim.

Gostaria de agradecer à Toca do Granel, pela simpatia e profissionalismo da Lídia e do Carlos sempre que os visito, e pela existência da loja, pois sem ela esta jornada não seria possível. Como uma loja tão recente, consegue motivar e incentivar os seus clientes e manter uma proximidade com os já habituais. Espero que se mantenha por muitos anos, pois não quero deixar de comprar a granel e sentir-me em casa dentro da "minha" loja.

Quero agradecer ao meu namorado, Pedro, que apesar de ainda lhe meter alguma confusão tanta mudança repentina, ter MUITA PACIÊNCIA com as minhas experiências (tanto as que resultam, como aquelas que nem tanto, e algumas até provocam gargalhadas).


Tenho-me apercebido que tenho seguidores de uma grande variedade de países e por isso, e apesar de no meu blog haver a opção de tradução, uma medida que vou adoptar para este novo ano é também publicar em inglês, portanto, as minhas publicações aparecerão em português e em inglês, para mais facilmente chegar a todos os leitores, mas não deixarei de ter no final da página do blog a opção de tradução, como vem sendo hábito.

Um bem haja para todos vós!

O Daybydayforzerowaste vai continuar :)

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Pastilha Elástica - 100% biodegradável

Hoje o tema pode ser considerado um pouco polémico, ou não!

Desde que percebi que uma simples pastilha elástica demora 5 anos a degradar-se e como as mesmas não se reciclam, que fui perdendo o hábito de as comprar. 

Desde 2012, quando coloquei aparelho nos dentes que esse hábito se perdeu. No entanto, há pouco tempo li uma partilha na comunidade do facebook Lixo Zero Portugal que já existem pastilhas elásticas biodegradáveis.

E questionei-me, será que vale mesmo a pena, em termos ambientais, uma empresa produzir pastilhas elásticas biodegradáveis? Não seria mais fácil acabar com a sua existência?

Bem, em termos de mercado tudo é marketing, tudo é vendável, por isso, tudo vale a pena.

No entanto, avaliando pela cabeça de alguém que luta contra o desperdício, algo que seja biodegradável, mas que cause desperdício e a pastilha elástica é um desperdício, para mim seria mais fácil acabar com a sua existência, pois a mesma irá criar um impacto na natureza, seja ela amiga do ambiente ou o seu pior inimigo.

No entanto, todos os temas são óptimos para falar aqui no blog e como tal, resolvi pesquisar, comprar e experimentar as tão famosas pastilhas elásticas biodegradáveis. Comprei na loja Celeiro e é da marca CHICZA é a pastilha elástica única no mundo 100% biodegradável, vegan, sem glúten, kosher, 100% natural certificada orgânica, de comércio equitativo, sem aspartame e cruelty-free (ver abaixo).


 






Relativamente ao seu rendimento como pastilha elástica, para quem não abdicar de as mastigar, não dura muito tempo o sabor, como as convencionais, nem tão pouco dá para fazer uma "bola para estalar". Este tipo de pastilhas elásticas serve apenas para aliviar um pouco o nervosismo de quando estamos num dia stressante de trabalho ou precisamos de estudar para um grande exame ou preparar-nos para uma importante reunião.

Aos olhos de uma Zero Waster, a pastilha elástica que é dividida em 8 pequenos quadrados e custa 2,59€, apesar da embalagem principal ser em cartão, por dentro os 8 pedacinhos vêm embalados numa película plástica e de alumínio, o que para mim é um desagrado. 

Quando questionado pelo Daybydayforzerowaste, o distribuidor da marca em Portugal, Itália e em Malta, respondeu que é "um mau menor" porque sem ela o produto poderia estar comprometido na sua consistência e qualidade, sendo esse o preço a pagar pela proteção da segunda maior floresta do mundo, o Gran Peten, considerado o maior "pulmão verde" após a Amazónia, os distribuidores acreditam que vale a pena. 

No entanto, o email do Daybydayforzerowaste será enviado para os produtores do Consorzio Chiclero para análise (segundo relatado pelos distribuidores).

A minha pergunta é ... será que vale mesmo a pena?

No entanto, deixo-vos um vídeo de estudo realizado na Itália, em que destacam as virtudes da CHICZA relativamente ao ambiente, e também à sua embalagem (o vídeo está em italiano) para que tirem as vossas próprias conclusões.



Ah o Daybydayforzerowaste vai fazer uma experiência com os seus desperdícios CHICZA, actualmente está a armazenar num recipiente de vidro os pedacinhos (ver abaixo)




terça-feira, 3 de outubro de 2017

Missão limpeza de praia

No dia 17 de Setembro participei numa limpeza de praia e fiquei chocada com a quantidade de plástico ... e saí de lá com o coração do tamanho de uma ervilha...

A praia escolhida foi a praia do Cabedelo em Vila Nova de Gaia, junto à foz do rio Douro, que pertence à Reserva Natural local do Estuário do Douro.

Mais uma vez foi a convite da Rosário do PlasticSundays, a que desde já agradeço mais uma vez e que desta forma também me faço transmitir, que sempre que haja nova limpeza que me convide.

A sensação que fica depois da limpeza de uma praia é algo complicado de se explicar, mas é muito de se SENTIR!... Sentir raiva, frustração, impotência, tristeza, mas também um sentimento de garra, de uma enorme vontade de arregaçar as mangas e de fazer mais, muito mais por este país, e por este planeta. Sim, porque podes fugir para muitos países, mas planetas, ainda é o único que temos e que MUITO POUCOS dão valor!

Só quando nos predispomos a nos associarmos a um grupo e juntos limparmos uma praia, num dia em que poderíamos estar noutro canto qualquer e a fazer algo bem mais agradável, é que nos damos conta, que NUNCA mais poderemos comprar uma garrafa de água de plástico, porque essa vontade desaparece por completo.

Só nessa altura é que nos questionamos, "para quê tanto toalhete de limpar seja o que for, que a grande maioria das mães e pais, de primeira, segunda, e por aí fora de viagens tanto adora". Minha gente, vai tudo ter ao mar... e parar, ou no estômago de um animal marinho, ou como eu vi, e tanta dificuldade tive para retirar, agarrado "com todas as suas forças" a galhos de árvores que se encontram nas dunas...

Sim, vê-se tudo e mais alguma coisa, restos de sapatos, tanto de adultos, como de criança, embalagens de plástico de amostras, e uma coisa que me surpreendeu bastante, pois a minha percepção era outra, é na diversidade da tipologia de resíduos. Estava à espera de ver muito mais lixo derivado das pescas do que o que na realidade vi...

Tenho muitas PERGUNTAS que espero na realidade venham a ter RESPOSTAS e me sejam respondidas!

Questiono-me desde então, será que são as pessoas que passeiam nas praias e que deixam o lixo por lá?

Será que há falta de contentores para que em vez de atirarmos para o chão, possamos colocar no devido lugar?

Será que há falta de sensibilização? e desculpem-me os defensores das gerações futuras, mas a sensibilização DEVE SER DADA AOS ADULTOS, pois são eles que têm o poder de DECISÃO!

Será que afinal a separação do lixo não resulta assim tão bem?

Será que existe falhas na própria recolha do lixo? seja ela diferenciada ou não!

Que somos uns porcos já eu sabia... é um problema cultural e educacional, mas mesmo assim algo aqui não está a resultar e é URGENTE encontrar a razão!!!








JUNTA-TE A ALGUMA ASSOCIAÇÃO, OU A UM GRUPO QUE LUTA, PARA QUE JUNTOS POSSAMOS CHEGAR MAIS LONGE!


ESTA MISSÃO É DE TODOS E NÃO SÓ DE ALGUNS DE NÓS!

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Testemunho em primeira mão #9

Olá a todos!

Pois é, chegou a altura de experimentar uma nova pasta dos dentes!

A minha pasta Couto estava a terminar, já era a segunda vez que a utilizava, mas já há algum tempo que pensava numa alternativa, e perguntam vocês, mas porque ela quer mudar de pasta dos dentes se está contente com a pasta que usa?

Têm razão, não sei se acontece convosco, mas comigo desde que adoptei este estilo de vida, penso sempre nas alternativas Ecofriendly. Bem a pasta Couto vem numa embalagem de metal. Sem dúvida, muito melhor do que as convencionais de plástico, no entanto, ainda não é do meu inteiro agrado, porque produzo um resíduo no final, quando a embalagem estiver vazia. 

Depois, outra razão que me levou a procurar uma alternativa, foram os componentes. Algum de vocês já se questionou para que serve cada componente da sua pasta dos dentes? eu questiono-me a toda a hora, mas as pesquisas que faço ainda não chegam a lado nenhum. Às vezes penso que estarei a ser um pouco fanática, e extremista (de que não gosto nada), porque nunca conseguirei eliminar todos os riscos para a minha saúde, pode ser verdade, mas aquelas que tiverem alternativas mais saudáveis eu tentarei, ou substituirei, porque devemos pensar na nossa saúde, tal como pensamos no impacto ambiental que tudo o que utilizamos provoca, sempre em primeiro lugar!

Com os vídeos da primeira semana de Setembro #lixozerostorytime conheci a Catarina do Mind The Trash e fiquei cada vez mais encantada com o site e o seu projecto. Aconselhei-me com ela e resolvi experimentar a pasta dos dentes natural GEORGANICS (ver abaixo) que vem num frasco de vidro, traz uma espátula para ser mais fácil de manusear a mesma (ainda em plástico, mas o Mind The Trash já sensibilizou a marca e as próximas encomendas virão com espátula em madeira), mas melhor do que isso, é que durante a nossa encomenda, podemos pedir para que não seja colocada a espátula (que foi o que eu fiz, pois além de não querer uma de plástico, dei conta que tinha uma em casa de outro produto que poderia voltar a dar-lhe vida = REUTILIZAR).

A minha pasta acabou na sexta e no sábado já estava a experimentar esta nova. A Catarina já me tinha avisado que esta pasta dos dentes natural não tinha muita espuma (por isso, não fui surpreendida) e que tinha um pouco do sabor a bicarbonato de sódio. Eu escolhi o sabor a hortelã pimenta, para se aproximar das que já estava habituada, de forma a que a adaptação fosse mais fácil. Não estou nada arrependida, e não precisamos nada da espuma para termos a sensação que os dentes ficam lavados, tal como acontece com os nossos cabelos.

Quanto à rapidez do serviço do Mind The Trash, adorei, encomendei e paguei no mesmo dia, e quando questionei a Catarina de quanto tempo poderia demorar a chegar a encomenda, para avisar a pessoa que a poderia receber, já ela me estava a dizer que a encomenda já tinha sido posta nos correios e que chegaria do dia seguinte. Por isso, como veem, serviço 5 estrelas :)



  

 



terça-feira, 19 de setembro de 2017

Anti traças natural

Como vem sendo hábito em casa tento sempre arranjar uma alternativa para os produtos comerciais que têm sempre algum inconveniente, ou tem químico e não me agrada, ou caso o compre, não sei bem onde o colocar no seu fim de vida.

Desde que iniciei este estilo de vida, despertou-me para este facto, pensar sempre no local onde deverei colocar o que compro no seu fim de vida, e na dúvida, prefiro não comprar, pelo menos até encontrar a solução para o que procuro.

Quando fiz o workshop de detergentes em Maio, partilhou-se uma forma de como afastar as traças dos nossos armários sem químicos e de forma natural. A formadora, que está familiarizada com as plantas e os seus benefícios, partilhou que o loureiro, as suas folhas são um excelente repelente, ou como nós habitualmente designamos, anti-traças para os nossos armários.

Esta foi a ideia que encontrei, com o que tinha em casa (ver abaixo), o paninho serviu anteriormente para embrulhar o meu sabão para lavar o cabelo.


O meu pequeno milagre:

Simplesmente embrulhei algumas folhas de louro inteiras no paninho, e com um elástico de tecido que já tinha em casa, fiz o embrulho (como é visível na imagem) e com a ajuda de uma cruzeta para calças prendi.
Esta dica também pode ser usada para colocar flores (alfazema, camomila) nas nossas gavetas para que as nossas roupas fiquem a cheirar bem.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Lixo Zero Story Time

Durante os dias 2 e 9 de Setembro irá decorrer um novo desafio.
Uma iniciativa entre bloggers portuguesas, preocupadas com o Zero Desperdício, que irão partilhar o testemunho relativamente ao estilo de vida Zero Desperdício, esclarecendo algumas dúvidas e inspirando os nossos seguidores. 

O Daybydayforzerowaste vai participar no dia 6 de Setembro.



Em que consiste?

Em fazer um video em directo, ou gravado e posteriormente publicado, na minha página de instagram, onde falarei um pouco sobre a minha jornada no Zero Desperdício, como surgiu. A minha intervenção estará mais focada para o tema que já vos tenho vindo a falar aqui no blog, sobre o meu kit de almoço (utensílios) e alguns locais onde tenho tido um bom feedback e onde poderemos fazer refeições utilizando o nosso Kit.

Nunca tive uma experiência do género, nem sequer tenho experiência com videos, por isso, gostaria de antes de mais nada pedir-vos desculpa por alguma eventualidade que possa surgir, ou algum embaraço da minha parte.

Ainda não sei se irei fazer um directo ou um video gravado, veremos como corre. De qualquer forma, se surgir alguma dúvida, ou curiosidade da vossa parte, que não vos seja logo respondida, podem deixar as questões aqui no blog já antes do dia 6, ou mesmo posteriormente, aqui ou na página de instagram do Daybydayforzerowaste, de forma a que vos sejam esclarecidas.

Espero que gostem :)

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Locais onde a minha mudança tem sido aceite #1

Hoje venho partilhar convosco a minha intenção em conceder-vos alguns locais/espaços e ou restaurantes, onde tenho ido fazer refeições, desde que me comprometi em desperdiçar cada vez menos e as minhas mudanças foram aceites.

Este primeiro post serve para vos dar conhecimento, os próximos relacionados com este tema, já irão mencionar os locais propriamente.

Acho que é importante partilhar convosco, primeiro porque por vezes temos receio em tomar a iniciativa (eu própria também tive), pensando que não vai resultar, e depois porque é sempre muito mais confortável para nós sabermos que os locais onde comemos não têm que ser outros só porque nós mesmos mudamos de comportamentos.

Temos que ter noção do que precisamos de ter connosco sempre, o nosso Kit Zero Desperdício (Kit ZW) para refeições, para que possamos atingir o objetivo, senão, nem vale a pena tentar, porque será muito mais difícil, isto para não dizer impossível.

Ainda quero adquirir mais um utensílio, principalmente para os meses de verão que ainda não tenho, mas posso ficar bastante agradada, porque o meu Kit ZW refeições está praticamente completo :)

À medida que vou conhecendo algum espaço novo, ou já existente, mas que seja relevante algum pormenor para ser publicado sobre este tema, irei repetir este mesmo tema.

Não irei restringir à minha cidade, nem mesmo ao meu país, caso surja alguma oportunidade de expôr a minha jornada para o Zero Desperdício por esse mundo fora, por isso, caros leitores que me seguem por esse mundo fora, estejam atentos pois caso mencione algum espaço vosso conhecido não estranhem ;)

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Limpa Vidros caseiro

O segundo produto de limpeza feito em casa, que vos vou falar hoje é o "limpa vidros". É um produto que também pode ser usado para lavar azulejos, e espelhos.

No workshop de detergentes também fizemos um limpa vidros, substituto para os detergentes químicos. Claro que fiquei entusiasmada, foi já há algum tempo precisava de limpar os vidros lá em casa e não queria usar produtos químicos e este workshop/oficina veio calhar na perfeição.

Aproveitei a amostra para lavar os vidros do meu quarto e fiquei maravilhada com o resultado e incrivelmente aquela simples receita limpa na perfeição os vidros, não necessitando de qualquer produto adicional para os deixar a brilhar. Ah vidros e caixilhos.

O ideal é colocar a mistura num borrifador, para assim ser mais fácil alcançar as superfícies a limpar.




Aqui fica a simples receita :)

O meu pequeno milagre:

1/2 L de água morna
5 colheres de sopa de vinagre (eu uso vinagre de maçã feito por mim, mas pode ser feito com vinagre de álcool) 

Misturar o vinagre com a água morna.
Use jornal amassado ou um pano de algodão para limpar.
Não limpe as janelas quando o sol estiver sobre elas ou quando estiverem quentes. Notar-se-ão manchas no processo de secagem.

Certifique-se que segue a receita, o uso excessivo de vinagre pode escurecê-lo com o tempo. Para não desperdiçar tento fazer as quantidades certas para os vidros e/ou janelas que tiver que limpar.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Detergente tipo "CIF"

Já aqui vos falei que em Maio participei num Workshop de detergentes caseiros.

Assim que recebi as receitas, experimentei algumas amostras e fiquei fã da amostra referente ao detergente tipo "CIF" (creme abrasivo) e é dela que vos venho falar hoje.

Incrível, como somos tão influenciados com o Marketing e utilizamos os produtos químicos, cheios de perigos para a nossa saúde sem pestanejar, nem pensar um bocadinho e no que nos pode provocar problemas de saúde... apenas nos interessa saber que são eficazes para as bactérias!

Pois é, meus caros, este produto limpa na perfeição, desinfecta e não provoca problemas de saúde para nós mesmos, nem para os nossos filhos, nem para os animais domésticos :)

O aspecto deste produto é realmente idêntico ao clássico CIF, quando limpamos as superfícies até aquele aspecto áspero ao toque, tem. Este creme abrasivo é sem dúvida o meu substituto para o clássico e perigoso CIF.

O meu guardo-o num frasco de vidro que tinha em casa (ver abaixo), reutilizando os frascos que vou tendo.



O meu pequeno milagre:

300ml argila branca ou carbonato de cálcio
200ml bicarbonato de sódio
125ml água destilada
40ml sabão líquido (20ml sabão + 20ml água)
15 gotas de óleo essencial (OE) limão

Juntar a argila ou carbonato com o bicarbonato. Acrescentar água e misturar bem. Adicionar o sabão líquido e por fim o OE. Mexer bem até obter uma textura cremosa e lisa.
Posteriormente pode conservar num frasco durante 2 a 3 semanas.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Vamos acabar com os cotonetes descartáveis?

Hoje venho falar-vos de algo que já procurava há algum tempo, mas que não encontrava em quase nenhuma farmácia. 
Quando era pequena, lembro-me de existir em casa dos meus pais, e de a minha mãe me limpar os ouvidos com ele, mas com as mudanças e depois de muito procurar, nunca mais encontrei o limpa-ouvidos ou cotonete reutilizável.
Hoje foi dia para voltar à farmácia onde em tempos questionei e pela primeira vez sabiam do que falava, e havia um, comprei-o e encomendei mais um para o meu namorado, para ver se finalmente nos livramos das cotonetes, de plástico ou cartão, de lá de casa.

Já existem cotonetes "amigos do ambiente", de bambu ou papel no cabo, em vez do ainda actual plástico, no entanto, quem faz uso contínuo e abastado dos cotonetes já parou para pensar na quantidade que gasta num ano?, e mesmo na sua vida toda? e se viver acompanhada/o, quanto isso não dá multiplicado por 2, ou por 3, ou 4 caso tenham mais um ou dois filhos?

Já pensaram se em vez de os colocar no lixo e por qualquer motivo, colocarem na sanita, as consequências que vão causar, tanto nas tubagens, como nas estações de tratamento de águas e na pior das hipóteses, nos rios ou nos mares? já para não pensar que não devem ser recicladas e como são muito leves, num dia com muito vendo, lá vão elas directas ao mar, "sem aviso prévio"...

Eu já uso muito pouco, ou quase nada, mas o meu namorado é um pouco dependente deles e não gosta nada dos amigos do ambiente, por causa do design das pontinhas de algodão, diz ele que não limpa direito.

Então, pensei ... "eu quero acabar com este desperdício lá em casa, o que fazer?"

Como sempre que procuramos uma alternativa ao que já temos, devemos sempre pensar no impacto que o que compramos vai ter, e quantas vidas eu lhe vou dar até o descartar, o caso do limpa ouvidos/cotonete reutilizável é o exemplo ideal. É de alumínio, portanto, lavável, cada um tem o seu, é higiénico e acima de tudo prático, e amigo do ambiente, pois dura uma vida!




Para quem me acompanha nesta minha jornada e vive no Porto ou nos arredores, eu comprei o meu na Farmácia Castro Carneiro que fica em frente ao Hipermercado Continente do Centro Comercial Gaia Shopping.