quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Limpa Vidros caseiro

O segundo produto de limpeza feito em casa, que vos vou falar hoje é o "limpa vidros". É um produto que também pode ser usado para lavar azulejos, e espelhos.

No workshop de detergentes também fizemos um limpa vidros, substituto para os detergentes químicos. Claro que fiquei entusiasmada, foi já há algum tempo precisava de limpar os vidros lá em casa e não queria usar produtos químicos e este workshop/oficina veio calhar na perfeição.

Aproveitei a amostra para lavar os vidros do meu quarto e fiquei maravilhada com o resultado e incrivelmente aquela simples receita limpa na perfeição os vidros, não necessitando de qualquer produto adicional para os deixar a brilhar. Ah vidros e caixilhos.

O ideal é colocar a mistura num borrifador, para assim ser mais fácil alcançar as superfícies a limpar.




Aqui fica a simples receita :)

O meu pequeno milagre:

1/2 L de água morna
5 colheres de sopa de vinagre (eu uso vinagre de maçã feito por mim, mas pode ser feito com vinagre de álcool) 

Misturar o vinagre com a água morna.
Use jornal amassado ou um pano de algodão para limpar.
Não limpe as janelas quando o sol estiver sobre elas ou quando estiverem quentes. Notar-se-ão manchas no processo de secagem.

Certifique-se que segue a receita, o uso excessivo de vinagre pode escurecê-lo com o tempo. Para não desperdiçar tento fazer as quantidades certas para os vidros e/ou janelas que tiver que limpar.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Detergente tipo "CIF"

Já aqui vos falei que em Maio participei num Workshop de detergentes caseiros.

Assim que recebi as receitas, experimentei algumas amostras e fiquei fã da amostra referente ao detergente tipo "CIF" (creme abrasivo) e é dela que vos venho falar hoje.

Incrível, como somos tão influenciados com o Marketing e utilizamos os produtos químicos, cheios de perigos para a nossa saúde sem pestanejar, nem pensar um bocadinho e no que nos pode provocar problemas de saúde... apenas nos interessa saber que são eficazes para as bactérias!

Pois é, meus caros, este produto limpa na perfeição, desinfecta e não provoca problemas de saúde para nós mesmos, nem para os nossos filhos, nem para os animais domésticos :)

O aspecto deste produto é realmente idêntico ao clássico CIF, quando limpamos as superfícies até aquele aspecto áspero ao toque, tem. Este creme abrasivo é sem dúvida o meu substituto para o clássico e perigoso CIF.

O meu guardo-o num frasco de vidro que tinha em casa (ver abaixo), reutilizando os frascos que vou tendo.



O meu pequeno milagre:

300ml argila branca ou carbonato de cálcio
200ml bicarbonato de sódio
125ml água destilada
40ml sabão líquido (20ml sabão + 20ml água)
15 gotas de óleo essencial (OE) limão

Juntar a argila ou carbonato com o bicarbonato. Acrescentar água e misturar bem. Adicionar o sabão líquido e por fim o OE. Mexer bem até obter uma textura cremosa e lisa.
Posteriormente pode conservar num frasco durante 2 a 3 semanas.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Vamos acabar com os cotonetes descartáveis?

Hoje venho falar-vos de algo que já procurava há algum tempo, mas que não encontrava em quase nenhuma farmácia. 
Quando era pequena, lembro-me de existir em casa dos meus pais, e de a minha mãe me limpar os ouvidos com ele, mas com as mudanças e depois de muito procurar, nunca mais encontrei o limpa-ouvidos ou cotonete reutilizável.
Hoje foi dia para voltar à farmácia onde em tempos questionei e pela primeira vez sabiam do que falava, e havia um, comprei-o e encomendei mais um para o meu namorado, para ver se finalmente nos livramos das cotonetes, de plástico ou cartão, de lá de casa.

Já existem cotonetes "amigos do ambiente", de bambu ou papel no cabo, em vez do ainda actual plástico, no entanto, quem faz uso contínuo e abastado dos cotonetes já parou para pensar na quantidade que gasta num ano?, e mesmo na sua vida toda? e se viver acompanhada/o, quanto isso não dá multiplicado por 2, ou por 3, ou 4 caso tenham mais um ou dois filhos?

Já pensaram se em vez de os colocar no lixo e por qualquer motivo, colocarem na sanita, as consequências que vão causar, tanto nas tubagens, como nas estações de tratamento de águas e na pior das hipóteses, nos rios ou nos mares? já para não pensar que não devem ser recicladas e como são muito leves, num dia com muito vendo, lá vão elas directas ao mar, "sem aviso prévio"...

Eu já uso muito pouco, ou quase nada, mas o meu namorado é um pouco dependente deles e não gosta nada dos amigos do ambiente, por causa do design das pontinhas de algodão, diz ele que não limpa direito.

Então, pensei ... "eu quero acabar com este desperdício lá em casa, o que fazer?"

Como sempre que procuramos uma alternativa ao que já temos, devemos sempre pensar no impacto que o que compramos vai ter, e quantas vidas eu lhe vou dar até o descartar, o caso do limpa ouvidos/cotonete reutilizável é o exemplo ideal. É de alumínio, portanto, lavável, cada um tem o seu, é higiénico e acima de tudo prático, e amigo do ambiente, pois dura uma vida!




Para quem me acompanha nesta minha jornada e vive no Porto ou nos arredores, eu comprei o meu na Farmácia Castro Carneiro que fica em frente ao Hipermercado Continente do Centro Comercial Gaia Shopping.

terça-feira, 25 de julho de 2017

Testemunho em primeira mão #8

Hoje venho falar-vos de uma nova aquisição ... o carvão activo!

O Binchotan como é chamado no Japão, é utilizado como um purificador de água desde o século XVII. 

Reduz o cloro, mineraliza a água (liberta minerais, tais como, cálcio e magnésio) e equilibra o pH, melhorando o sabor e benefícios para a saúde.

Só pode ser utilizado em água potável.

Pode ser vendido em conjunto com duas garrafas, uma de vidro, outra de plástico, mas também pode ser vendido separadamente para ser utilizado em qualquer garrafa que tenhamos em casa, desde que esta tenha um gargalo largo, pois o diâmetro do carvão activo tem um tamanho considerável.

Tem duração de 6 meses, se bem que ao fim de 3 meses devemos reactivá-lo. É um processo bastante simples de se fazer, basta ferver em água por 10 minutos e deixar secar ao sol, e fica ativado por mais 3 meses.




Cuidados e utilização do Binchotan

NÃO lave o carvão activo com detergente ou sabão, e deve tirar-se o carvão antes de lavar a garrafa.
Para libertar as impurezas acumuladas, basta verter água a ferver sobre o carvão e depois deixá-lo secar ao sol. Este processo, deve fazer-se, pelo menos, ao fim de 3 meses de uso.

NÃO misture com xaropes aromatizados ou sumos.

NÃO beba a água que foi deixada mais de 48h na garrafa com o carvão.

Para aproveitar ao máximo as propriedades do carvão activo, deve encher a sua garrafa com água da torneira (potável) e deixar o carvão actuar durante 8 horas, no entanto, ao fim de 4 horas, o carvão activo já neutralizou a água da torneira. No mínimo, 1 hora é necessária para que a água seja neutralizada, por isso, nunca devemos bebê-la antes de perfazer 1 hora.
Como eu gosto de beber água bem fresca, eu costumo colocá-la sempre no frigorifico. 


Quando o Binchotan já tiver ultrapassado o prazo dos 6 meses para a purificação da água, ainda pode ser utilizado para outros fins :)

- Pode ser partido e colocado nos vasos, fornecendo nutrientes para as plantas;
- Colocar no caixote da areia do gato, neutralizando o odor;
- Colocar no cesto da roupa suja, neutralizando o odor;
- Colocar no balde do lixo, neutralizando o odor;
- Colocar na sapateira para absorver os maus odores;
- mas também como absorvente de humidade no armário das nossas roupas.

Já imaginaram, deixar de comprar recargas, cheias de plástico para retirar a humidade nos meses de inverno?

Pois é, eu vou experimentar, já este inverno e depois partilho-vos a minha experiência :)

Eu adquiri o meu Binchotan na Pegada Verde, mas no BazarBazar também podem encontrá-lo. São ambas lojas Eco online.

Pensar no Ambiente:

Mais de 22 biliões de garrafas de plástico são descartadas por ano em todo o mundo.
É possível reduzir a produção de embalagens plásticas descartáveis, purificando e melhorando o gosto da água da torneira, incentivando as pessoas a reduzir a compra de água engarrafada e desta forma diminuírem o impacto da sua pegada ecológica (para além de pouparem recursos e dinheiro).


Faz parte da MUDANÇA ... SIM é possível!

terça-feira, 11 de julho de 2017

Pensamento #fase1

Pensar em Zero Desperdício também é pensar na nossa saúde, na minha opinião não são dois temas que andem separados. 
É inevitável colocarmos questões a nós mesmos, se andamos a comer o mais saudável, se usamos os cosméticos e os produtos de limpeza mais saudáveis, e isso leva inevitavelmente a uma mudança de comportamentos gradual. Se hoje começamos por reduzir o plástico, as embalagens, o lixo produzido em casa, o lixo que vemos espalhado pelo chão, na rua, amanhã dás por ti a perceber que não precisas de tantos produtos para limpar a tua casa, que 2 ou 3 todos juntos fazem milagres, que poucos produtos necessitas para a tua higiene e para que andes limpa, cheirosa e bonita. E com alimentação é a mesma coisa. Começas a pensar, se tudo o que comes é saudável? Nem sequer me estou a referir a comer carne/peixe/marisco ou não. Estou por exemplo a referir-me aos açúares, às gorduras, aos processados, com edulcorantes, e aspartame, entre outros. O Marketing consegue vender-nos tão bem coisas que não necessitamos para nada, nem para a casa, nem para a nossa saúde, e nós, porque é mais atrativo, ou mais barato, compramos sem pestanejar. 

terça-feira, 4 de julho de 2017

Mudança de comportamentos #2

Tenho andado um pouco ausente, eu sei, e peço-vos desculpa por isso.

Tenho andado dedicada a alguns projectos sobre o Zero Desperdício. Mas também um pouco dedicada a mim e à minha paz interior.

Eu ainda não partilhei convosco, mas eu faço parte de um grupo no Facebook, que se chama Lixo Zero Portugal (podem ver na página principal do blogue), e ajudo na gestão da página e é também a partir desse grupo que vou testando algumas dicas para partilhar convosco aqui no blog. 

terça-feira, 6 de junho de 2017

Oficina Detergentes Naturais

Hoje venho partilhar convosco uma experiência que tive há uns dias.

Resolvi inscrever-me numa oficina sobre detergentes naturais. Foi organizada pela BioMio. Passei duas horas atenta a aprender e a partilhar experiências de como se faz detergentes para limpar a minha casa, sem químicos, com ingredientes normalíssimos, que até podemos ter nas nossas casas.  

Foi uma oficina bastante participativa, com partilha entre os inscritos e a BioMio.

Aprendemos a fazer Detergente para a Louça, Detergente para a roupa (várias opções), Detergente tipo "CIF", Detergente "Multiusos" (ver abaixo), no entanto, partilhamos experiências entre todos.

Como tinha combinado com a Paula da BioMio antecipadamente, levei o meu óleo alimentar usado e como troca trouxe umas barras de sabão caseiro (normal, e com folhas de louro) (ver abaixo).



Estou ansiosa por receber as receitas por email, para poder começar a testar em casa e partilhar convosco :)

terça-feira, 30 de maio de 2017

Testemunho em primeira mão #7

Hoje venho falar-vos dos meus primeiros produtos da Lush.  É uma marca 100% vegan, que utiliza ingredientes frescos, para cosmética, caseira e em que os poucos produtos que utilizam ingredientes sintéticos, sejam em percentagens que não nos fazem mal à saúde. Estou rendida a esta marca, pelo menos aos produtos que estou a testar. Fiz a minha primeira encomenda a semana passada.

De tanto ouvir e ler sobre os produtos da Lush resolvi experimentar, e antes de falar sobre os produtos em si, gostaria de partilhar convosco o que mais me agradou nesta marca. Estava um pouco receosa, porque sabia que alguns produtos viriam em embalagens de plástico, no entanto, quando recebi a encomenda adorei saber que as embalagens são de plástico 100% reciclado e melhor ainda, quando acabarmos o produto poderemos devolver a embalagem à Lush evitando assim, mais desperdício desnecessário. Todas as embalagens informam sobre essa devolução.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Mudança de Comportamento #1

Hoje venho partilhar convosco algumas mudanças de comportamento que tenho vindo a ter, mais umas :)

Quando nos preocupamos com o ambiente, é inevitável, questionarmos se os comportamentos que sempre tivemos também nos fazia bem à saúde.

Por vezes até podemos ser amigos do ambiente e não sermos amigos de nós mesmos, por isso, tento sempre direccionar as minhas escolhas em ambos os sentidos, e tentar que se conciliem sempre.

Por isso, hoje venho falar-vos de 5 produtos (maquilhagem e higiene) que estou a experimentar e mais um que já uso para outros fins, mas que também está a ser usado lá em casa como produto de higiene oral.

Há uns meses resolvi experimentar o pó compacto da marca Zao, como eu tenho a pele um pouco branca não escolhi uma cor mais escura, mas como não tinham o meio termo acabei por escolher uma cor o mais parecida com a minha pele, o que dá um tom mais natural. Foi preciso alguma adaptação, mas hoje sei que fiz a opção certa. Qualquer dia experimento o blush.

Na mesma altura adquiri uma base líquida, a minha anterior não amiga do ambiente tinha terminado e resolvi ser um pouco mais exigente nas minhas escolhas. Estou contente com a minha compra, já que é em conta. É da marca Bioten 













O creme de rosto que entretanto comprei para o meu tipo de pele mista, é da marca Dr. organic. Só à pouco tempo descobri que o meu tipo de pele era mista. Até então sempre coloquei creme de rosto para peles secas, porque quando não hidratava convenientemente a pele ficava com o rosto às manchas, e na zona da testa e queixo excessivamente oleosa. E afinal, andava a colocar o creme hidratante errado. Actualmente estou contente com esta minha opção e como complemento para o excesso de oleosidade uso sempre o bicarbonato de sódio (como já tinha partilhado convosco).













Para os meus dentes, optei por usar a pasta dos dentes Couto. Produção nacional, e da minha cidade, até agora, noto que os meus dentes estão melhores do que alguma vez estiveram, eu uso aparelho e nem o meu dentista me disse que os dentes estivessem piores, nem nunca me questionou sobre a limpeza ou saúde dos mesmos. No entanto, já ouvi alguns comentários que como não tem flúor que deve ser usado alternada com outra pasta dos dentes. Não se é bem assim, já que o uso de flúor também nos é prejudicial. Informem-se que eu também me irei informar e assim que tiver alguma actualização sobre esta informação, partilharei convosco.






O meu namorado, fuma (algo que ainda não consegue evitar, esperemos que um dia lá chegue) e toma bastante café, por isso, a placa bacteriana, ainda com mais intensidade que qualquer ser humano. Actualmente como complemento à pasta dos dentes, usa bicarbonato de sódio misturado com óleo de côco, ou algumas vezes, puro. Coloca bicarbonato de sódio na escova, e lava normalmente como se de uma pasta de dentes se tratasse, retirando a placa bacteriana de uma forma milagrosa. Pelo menos, dá para não ter visitas tão frequentes ao dentista.

Procurava um verniz que não me fizesse mal à saúde e que ao mesmo tempo fosse amigo do ambiente. Encontrei uma marca e actualmente estou a testá-la. A marca que vos falo é a Zoya. Estou a experimentar a cor WhiteSnow, o branco que é usado para fazer manicure francesa. Adequi também um produto para colocar antes do verniz, para as unhas irregulares, da mesma marca. Esse é de um valor um pouco acima da média, mas também apenas se compra uma vez, pois dura imenso e apenas se coloca uma camada antes do verniz.

 


Todos estes produtos são para carteiras mais acessíveis, uns um pouco mais acima da média, outros igual à média. De momento, estes são os produtos que recomendo, pois também são os que estou a usar e que funcionam comigo e com o meu namorado. 



Onde comprei os produtos:

- Pó compacto da marca ZAO - CirculoBio - Base líquida da marca Bioten - El Corte Inglês no supermercado
- Creme de rosto Dr. organic - Celeiro
- Pasta dos dentes Couto - El Corte inglês no supermercado
- Bicarbonato de Sódio - Drogaria, mas também pode ser comprado nas farmácias
- Verniz e produto unhas irregulares Zoya - Organii Porto - Centro Comercial Miguel Bombarda

terça-feira, 16 de maio de 2017

Compras a granel e o conceito Hygge

Não se pode falar em Zero Desperdício sem falar em compras a Granel.

O post de hoje complementa o post do dia 11 de Abril, sobre armazenamento de alimentos.

Se a nossa intenção é reduzir ao máximo, ou melhor ainda, eliminar embalagens, as compras a Granel tem que estar presente nas nossas metas.

Na minha cidade, já vai havendo algumas lojas de venda a granel (Toca Granel), e quantas mais houver, a meu ver melhor, e dispersas pela cidade (ver abaixo).

Que se acabe com o "comércio fast"!!! 

Tenho que reconhecer que os Hiper e Supermercados de hoje em dia, são práticos, ideais para quem não tem vida relaxada nem empregadas domésticas que possa fazer as compras, e que muitas vezes acaba por sair do trabalho a horas impróprias para comprar no mercado tradicional. 
No entanto, cada vez sou mais adepta desse estilo de vida antigo, cozinhar é uma arte, e arte é todo o trajecto que o alimento faz até chegar às nossas casas para que posteriormente seja confeccionado por nós.
Já para não falar na qualidade de produtos que são comprados nessas grandes superfícies que não sabemos em que condições de transporte e embalamento e a forma como foram produzidos apesar de nos dizerem a sua origem.

  


As coisas dão muito trabalho, eu que o diga que durante a semana prefiro fazer refeições rápidas e leves que não me dêem trabalho quase nenhum. No entanto, fazer um cafézinho no fogão, logo pela manhã e sentir o cheio a café pela casa, não se paga, e quem diz isso, diz outras coisas que dão algum trabalho, demoram um pouco mais do que o esperado, mas que nos dão uma recompensa inigualável. E  com uma panela de pressão podemos sempre cozinhar os alimentos mais morosos ao fim-de-semana e congelá-los para que durante a semana, mais rapidamente os possamos consumir. É tudo uma questão de estratégia e método. E a minha geração é que mais se tem ou teve que adaptar às mudanças, por isso, este estilo de vida também não será diferente. 

Nem todos os dias tenho vontade de cozinhar, mas todos os dias penso que confeccioná-lo da forma tradicional é uma arte e uma forma de relaxar, ou meditar para ser mais exacta. Bem posso atrever-me a dizer que a arte de confeccionar a comida, da forma tradicional, seja ela de que tipo for, é considerado Hygge.

Hygge para quem não sabe é uma palavra dinamarquesa sem tradução que reflete as coisas simples e importantes da vida de cada ser humano que o faz realmente feliz!

Já devem ter ouvido falar na comunicação social, que os dinamarqueses são o povo europeu mais feliz!

Dá que pensar, que talvez não sejamos assim tão felizes, porque andaremos focados nas coisas erradas!

Pensem nisto e digam-me o que vos faz inteiramente felizes!